Afegã de 15 anos é torturada pelo marido por não querer prostituir-se

Uma jovem afegã de 15 anos de idade foi torturada e mantida em cativeiro por seu marido durante meses quando se recusou a se prostituir. Os parentes do agressor também participaram dos atos de violência. Presa no sótão de sua casa, ela teve suas unhas arrancadas e sofreu de espancamentos à queimaduras. Por muitas vezes, ela teve refeições negadas.

Oficiais afegãos anunciaram que a adolescente Sahar Gul será enviada à Índia para receber tratamento médico. A polícia já prendeu a sogra e a cunhada da adolescente, suspeitas de terem sido cúmplices do crime. Seu marido, Gulam Sakhi, um militar, e seu sogro permanecem foragidos.

A jovem já está em recuperação e apresenta melhoras gradativas. Entretanto, foi submetida a tratamento psiquiátrico, pois o longo período de reclusão pode ter causado traumas.

Em uma primeira ocasião, segundo testemunhas da comunidade onde vivia, Gul tentou fugir e refugiar-se na casa de vizinhos. A líder comunitária local, identificada como Ziaulhaq, conta que ela “percorreu toda a vizinhança, falando que seu marido queria transformá-la em prostituta”.

Os moradores garantem que acionaram a polícia. Ao chegarem ao local, as autoridades foram desafiadas pela sogra. A mãe de Gulam Sakhi argumentava que seu filho havia comprado a jovem por um dote de mais de quatro mil dólares. Em seu entendimento, seu filho possuía o direito de fazer o que bem entendesse com a jovem.

Mesmo após a primeira averiguação policial, Sahar Gul voltou para o cativeiro. Ziaulhaq acusa a família de família pagar propina aos oficiais para encobrir as denúncias. Rahima Zarifi, chefe do departamento de mulheres da província de Baghlan afirma não conhecer a razão de a jovem ter retornado para a guarda do marido.

A tortura teve fim apenas com a visita do irmão da jovem, que a encontrou em condições críticas, incapaz até mesmo de se comunicar. As autoridades tentaram, então, resolver o impasse por meio de estratégias “tradicionais”, ou seja, negociando verbalmente com o marido e o irmão da vítima.

O presidente afegão, Hamid Karzai, prometeu que os responsáveis serão punidos.

fonte: operamundi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s