DESCOBERTA NOVA “SUPER-TERRA” QUE PODERIA ABRIGAR VIDA

Um novo exoplaneta entrou para a lista de planetas que contemplariam condições necessárias para a existência de vida. Trata-se do Gliese 163c, que orbita em torno da estrela Gliese 163, uma anã vermelha localizada a 50 anos-luz da Terra. A descoberta foi feita por uma equipe do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico. O exoplaneta está sendo considerado pelos cientistas uma super-Terra, pois tem uma massa 6,9 vezes maior do que a do nosso planeta.

Segundo alguns cálculos, o Gliese 163c leva 26 dias para realizar a órbita ao redor da sua estrela. Por conta da distância de sua estrela, estima-se que a temperatura deste exoplaneta seria em torno de 60 graus Celsius, o que não permitiria a existência de vida como a que conhecemos na Terra, mas poderia abrigar alguma espécie de vida microscópica. A descoberta do sexto exoplaneta potencialmente habitável foi realizada pelo espectrógrafo europeu HARPS, um equipamento que faz imagens de um espectro luminoso, que está localizado no Chile.

BIZARRICE: Lady Gaga lança perfume que contem sangue e sêmen

O perfume Fame, de Lady Gaga, que tem porções de sangue e sêmen, se tornou campeão de vendas no Reino Unido

“Lady Gaga é verdadeiramente original e ela trouxe algo completamente novo ao mercado das fragâncias”, disse ao “Daily Mail” Sara Wolverson, diretora de cosméticos da Superdrug, a segunda maior rede de venda de remédios e produtos de beleza do país. 

 A bizarrice desses seres não parece ter fim!

Pesquisadores descobrem a origem dos primeiros seres canibais

Um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto Catalão de Paleoecologia Humana e Evolução Social destaca os motivos e a forma como o Homo antecessor praticava o canibalismo. Esta espécie de hominídeo surgiu há cerca de 1,2 milhão de anos e perdurou, pelo menos, até 800 mil anos. Considerada a mais antiga da Europa, eles habitavam a Serra Atapuerca (atual Burgos, na Espanha) e adotavam a prática do canibalismo principalmente com crianças pertencentes a grupos inimigos com o objetivo de expandir seu território e vencer as disputas por recursos para a sobrevivência.

Os indivíduos de tribos inimigas era caçados e depois cozidos da mesma maneira que os animais presentes na dieta do Homo antecessor. Os pesquisadores destacam a semelhança de comportamento deste grupo com os chimpanzés, que também praticavam o canibalismo como uma forma de agressão intergrupal, cujas vítimas eram os indivíduos mais jovens.